vidaslife seguidoras

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Ah o amor.

No espaço azul chorando eu procurei,
tudo de belo que no céu existe;
A estrela ao sol; à lua eu perguntei:
do grande amor que no meu peito é triste.


Disse-me a estrela a cintilar não sei;
o sol também tão triste como a valsa;
disse-me amiga" eu nunca iluminei"
nem sei se existe outra ilusão mais falsa.


A lua disse, um tanto envergonhada;
" O amor é fel, é taça envenenada...
o mais não sei, pergunte a quem souber.

Autor desconhecido.

5 comentários:

Shuzy disse...

O amor pode ser o que for, mas ninguém passa por essa vida sem provar do seu sabor...

Sayuri Okamoto disse...

todos nessa vida temos um propósito, mas nem sempre é o que nos motivará...

beijos

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo seu poema. Ficou muito legal o blog, gosto dessa imagem de estradas, liberdade.Deus ilumine você e sua família.Beijos

MARILENE disse...

Apenas os corações sabem falar de amor. A natureza não sabe filosofar (rss). bjs.

Poemas Tecidos disse...

Que lindo!

Abraços.